“Ritinha danadinha”(continuação…)

6 09 2008

3 -Cacareca de chocolate
Bom, eu sei que todo mundo gosta de chocolate, mas a Ritinha sempre fazia as coisas mais que todo mundo. A menina só tomava leite com chocolate, queria chocolate de lanche, chocolate de sobremesae, se a mãe deixasse, ela comia até macarrão com chocolate!
Teve até uma vez, uma vez em que a menina andava “mais ou menos” comportada, a mãe voltou das compras com um presente especial para a filha: uma galinha de chocolate!
Uma galinha pequena, mas linda como ela só, toda dourada de papel-alumínio, com fita vermelha no pescoço e tudo!
Vendo a Ritinha toda feliz com o presente, a mão foi logo perguntando:
– Gostou da galinhazinha, minha filha?
– Gostei, mãe. Mas não se diz galinhazinha.
– Não? Por quê?
– Porque galinha já quer dizer que é um bicho pequeno. Quanto tem inha atrás, quer dizer que a coisa é pequena.
– Ah, é? E se a galinha fosse maior, como é que era pra falar?
– Era pra falar gala, é claro! A mulher do galo é a gala, a namorada do galinho é a galinha. É que nem cachorro. Quando a cara dele é pequena, a gente diz focinho. Quando é mais ou menos, é foço. Quando a cara é grande, é foção! Não é fácil?
A mãe percebeu que a filha estava com mais uma daqueles seus acessos de corrigir a língua portuguesa e achou melhor não prolongar a discussão. Foi cuidar da vida, e Ritinha ficou cuidando da galinha. A primeira coisa a fazer era arranjar um nome para a galinha.
– Cacareca! Vai se chamar Cacareca!
E Ritinha foi arrumar o cantinho da Cacareca. Arranjou uma caixa de sapato e um lápis novinho. Fez um furo em cada lado da caixa e atravessou o lápis através deles.
– Aí está, Cacareca. Você vai morar neste ninho. Tem até poleiro!
Colocou a caixa ao lado da cama, equilibrou a Cacareca no poleiro e foi cuidar do almoço da galinha. Uma canequinha de leite misturado com chocolate  em pó, foi fácil de arrumar, mas Ritinha não resolveu o problema do milho. Quebrou uma barra de chocolate em pedacinhos e tentou fazer bolinhas enrolando os pedaços na palma das mãos, mas o chocolate derretia com a calor das mãos e Ritinha só conseguiu ficar toda melecada. Lambendo os dedos, foi falar com a mãe.
– Mãe, onde eu acho milho de chocolate?
– Milho de chocolate? Ora, isso não existe, Ritinha!
– É claro que existe, mãe. Galinha de chocolate tem que comer milho de chocolate, ora essa!
– Galinha de chocolate não come nada, Ritinha. Esse é um presente que eu trouxe para você. Uma galinha de chocolate. Foi feita para ser comida por você.
Ritinha não quis saber:
– Nunca! A Cacareca é minha miga. Como é que eu vou devorar uma amiga?
– sabe o que eu acho, Ritinha? Eu acho que você não deveria fazer amizade com bichinhos de chocolate…
Não adiantou a mãe falar que o chocolate da galinha ia derreter com o calor, que ia embolorar. Nem adiantou falar que, se ela pegasse essa mania, ia cismar de ficar amiga do feijão, do arroz e do ovo frito e ia acabar morrendo de fome. Não adiantou falar nada. Ritinha era amiga da Cacareca e pronto. Não queria conversa.
À noite, a mãe sorriu ao ver a menina dormindo feliz ao lado da galinha empoleirada na caixa de sapato e…
Na manhã seguinte, Ritinha chamou, aflita:
– Mãe! Corre aqui! A Cacareca sumiu!
A mãe correu, o pai correu, a avó correu e Ritinha pôs a boca no mundo:
– Fugiu! A Cacareca fugiu!
– Veja, Ritinha! – disse a mãe. – Olhe o ninho da Cacareca. Está cheio de ovinhos!
E estava mesmo. A caixa tinha ovinhos de chocolate até em cima!
– É claro que eu já isso, mãe. A Cacareca botou esses ovinhos todos durante a noite. Não foi o que eu disse? Galinha de chocolate bota ovos de chocolate!
– Você tinha razão, Ritinha – sorriu a mãe, piscando para o pai, que, por sua vez, piscou para a avó, que, por sua vez, piscou para a avó, que, por sua vez, piscou para a avó, que, por sua vez, não piscou para ninguém. – Vai ver a Cacareca botou os ovinhos e foi para a casa de outra menina botar ovos pra ela. Agora, você pode comer os ovinhos da Cacareca.
A menina olhou firma para a mãe:
– O quê?! Eu? Comer os ovinhos da Cacareca? Nunca! Eu vou é cuidar direitinho deles. Logo, logo, vai nascer um montão de pintinhos de chocolate!
É… a Ritinha fazia as coisas desse jeito. Mas que jeito mais danadinho de fazer as coisas!


Ações

Information

3 responses

7 09 2008
Andressa Trotsiuk Ferreira

OI prof fico muito legal ……

JA salvei a historia inteira no meu computador !

Bejos Andressa

16 05 2010
nathalia

obrigada eu presiso fazer um resumo dessa historia!

1 06 2010
profcatia

Essa história é realmente uma graça.
É bom saber que posso colaborar, de alguma forma, com alguém.
Abraços.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: